Search

Navio patrulha americano, tem missão de combater a pesca ilegal e predatória da China no Atlântico.

Partiu do estado americano Mississippi em meados de dezembro o mais novo navio patrulha da Guarda Costeira Americana, o USCGC Stone (WMSL 758), com destino à América do Sul. O navio vai realizar uma patrulha ao longo de toda a extensão do Atlântico Sul, passando por Guiana, Brasil, Uruguai e Argentina para combater a pesca ilegal e predatória.

A operação denominada Southrern Cross (Cruzeiro do Sul) visa aumentar a parceria entre países da América do Sul e os Estados Unidos na intimidação contra embarcações chinesas no Atlântico Sul. Em 2020, sem nenhuma autorização ou mesmo comunicação, uma frota pesqueira chinesa com cerca de 260 barcos realizou atividades pesqueiras no arquipélago de Galápagos, causando uma enorme preocupação em países como Equador, Chile, Colômbia e outros países banhados pelo Oceano Pacífico.

Para 2021 o receio é que esses barcos chineses migrem para o Atlântico Sul e iniciem uma verdadeira devastação da fauna marinha de países como Argentina, Uruguai e Brasil. A Argentina, que já presenciou e inclusive afundou um barco chinês em seu território em 2016, vai recepcionar o USCGC Stone agora em janeiro, marcando o início de novos acordos de cooperação de patrulha e monitoramento de atividades ilegais e predatórias de pesca no Atlântico Sul. O navio americano deve cruzar as águas brasileiras, inclusive catarinenses, já nas próximas semanas, mas ainda não há confirmação de atividades com a Marinha do Brasil ou atracação em portos brasileiros.


O USCGC Stone (WMSL 758) é novinho em folha, sendo incorporado na Guarda Costeira Americana em novembro de 2020. Com 127 metros de comprimento por 16 metros de boca, o navio patrulha tem uma autonomia de operação de até 60 dias e uma tripulação de cerca de 120 homens. É dotado de seis metralhadoras calibre .50, um canhão na proa Mk-110 de 57mm e radar 3D.


AC2 Produção, Comunicação & Marketing