AC2 Produção, Comunicação & Marketing

Importantes ONGs ambientais se unem para reivindicar 100% de cobertura de observadores em embarcações dedicadas à pesca do atum

Treze organizações ambientais não governamentais (ONGs) com foco na conservação global do atum anunciaram que estão unidas para apelar às Organizações Regionais para o Ordenamento Pesqueiro (OROPs) que regulamentam a pesca do atum nos Oceanos Índico, Pacífico, Atlântico e Antártico exigindo a cobertura de observadores em todas as embarcações pesqueiras industriais dedicadas à pesca do atum. 

 

Entre as ONGs estão: Birdlife International, Conservation International, The Earthworm Foundation, Ecology Action Centre, Environmental Defense Fund, Fishwise, Greenpeace, International Seafood Sustainability Foundation (ISSF), Monterey Bay Aquarium, The Nature Conservancy, PEW Charitable Trusts, Sustainable Fisheries Partnership e World Wildlife Fund. As ONGs prestaram a seguinte declaração:

''É inaceitável que os atuneiros não sejam monitorados.

Em inúmeras instalações dedicadas à pesca do atum ao redor do mundo, a falta de monitoramento independente da atividade pesqueira significa que há muito que não podemos ver, inclusive vários problemas conhecidos de conservação e conformidade como a pesca ilegal, declarada erroneamente ou não declarada e a captura acessória (bycatch) de espécies ameaçadas, em extinção e protegidas. O que não podemos ver cria riscos para as reservas de peixes, para as instalações pesqueiras e para as companhias que compram o atum. As Organizações Regionais para o Ordenamento Pesqueiro (OROPs) têm o poder de reduzir esses riscos ao exigir 100% de cobertura de observadores, seja humana e/ou eletrônica, nas embarcações industriais dedicadas à pesca do atum.''

As ONGs buscarão o apoio amplo de interesses comerciais, organizações pesqueiras, organizações e fundações para a conservação direcionada à exigência de 100% de cobertura de observadores em todas as OROPs e agências pesqueiras para a gestão das reservas globais de atum.